DETENTO, DE 73 ANOS, ENCONTRADO ENFORCADO NA CADEIA PÚBLICA DE MOGI DAS CRUZES. ELE ESTAVA PRESO POR CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL

                      Inquérito apurará morte no presídio

Um inquérito será aberto pela Polícia Civil a partir de segunda-feira (28) para apurar os detalhes da morte do detento Ronaldo Bizinha, de 73 anos, em cela especial da Cadeia Pública de Mogi das Cruzes, com outro colega, também detido por crimes contra a dignidade sexual. Ele foi encontrado enforcado, às 5h50 deste sábado (26).

O delegado Argentino da Silva Coqueiro, diretor da Cadeia, foi acionado por carcereiros e adotou as medidas necessárias, mobilizando a Polícia Científica, que realizou a perícia que pode ajudar nas investigações.

O delegado Daniel Miragaia, da Central de Polícia Judiciária, em Mogi das Cruzes, registrou a ocorrência como morte suspeita, anotando no boletim sobre a existência de “dúvida razoável quanto a tratar-se de suicídio”.

O corpo de Ronaldo foi removido ao Instituto Medico Legal para ser submetido ao exame necroscópico.  Ele estava preso por força de mandado de prisão temporária em 28 de janeiro, quando policiais civis, da Delegacia de Poá, ainda cumpriram mandado de busca e apreensão na casa dele, apreendendo dois computadores, cartão de memória e outros objetos, que poderiam em tese configurar a sua participação em crimes sexuais. Ao ser escoltado do interior de sua residência à viatura várias pessoas revoltadas o ameaçaram de agressão.

Nesta sexta-feira (25), Justiça converteu a sua prisão em preventiva, o que o levaria a ser transferido para o Centro de Detenção Provisória, no bairro do Taboão.

SITUAÇÃO

Ronaldo foi achado dependurado por um cordão na grade de ventilação. O único colega da cela 1, avisou o carcereiro de plantão que verificou que o corpo ainda estava quente. O policial chamou uma equipe do Samu que confirmou o falecimento do detento.

A notícia de sua ida para o CDP após ser decretada a prisão preventiva teria deixado o aposentado Ronaldo Bizinha muito abalado.